Confira aqui os mitos, verdades e cuidados que você deve ter com a alimentação do seu cachorro.

Poucos animais, se formos pesar na balança, beneficiam tanto o ser humano quanto o cachorro, que, não por acaso, é conhecido como o melhor amigo do homem. Diante da insegurança das grandes cidades, o cachorro é, sem dúvida, uma garantia de segurança em nossos lares. Até por isso, é fundamental que seja muito bem tratado, pois será do zelo que temos pelos cachorros que determinará seu maior tempo de vida. Nesse aspecto, a alimentação é essencial e aí surge as dúvidas corriqueiras: qual a alimentação correta? Será que ela varia de uma raça para a outra? Será que ela deve mudar com o passar dos anos? E em torno dessas perguntas recorrentes, muitos mitos surgiram em torno dessa questão. Vamos analisar algumas delas.

Uma das "certezas" que as pessoas têm é que o cachorro não pode passar um dia sequer sem se alimentar de uma dieta a base de carne crua. Aliás esse mito prevaleceu durante muito tempo, pode até ser que naqueles tempos isso fosse um fato, mas assim como a raça humana evolui e se transformou ao longo dos tempos, o mesmo vem ocorrendo com os cães. Assim, atualmente, já se sabe que a carne sozinha não mais é capaz de satisfazer as necessidades nuticionais dos caninos. Até por isso, ao ir em qualquer pet shop, hoje em dia, você verá uma imensa variedade de rações com as misturas de carne com vegetais, por exemplo.

Outra dúvida é se devemos dar leite para cachorros. Essa dúvida procede, pois quando eles são pequenos costumamos alimentá-lo justamente com o leite e ele não apresenta nenhum tipo de rejeição. No entanto, com o passar dos anos, o único tipo de leite que o cachorro, dependendo da raça, não rejeitará é o sem lactose. Pouca gente sabe, por exemplo, em relação aos alimentos derivados do leite que o cachorro já em idade adulta aceita muito bem estão o queijo cottage e iogurte. Aliás, é até recomendável, pois eles são ricos em cálcio.

Desfazendo mal entendidos

Muitos dizem também que a gordura na alimentação canina é prejudicial a vida do animal, pois estas não tem calorias. Saiba que isso não é verdade, pois até pelo fato dos cachorros, dependendo da raça, se movimentarem muito durante o dia, principalmente aqueles das raças mais territoriais, como pastor alemão, eles precisam da gordura, que é uma das principais fontes de energia. Mas os seus benefícios não param por aí, elas ajudam também na assimilação das vitaminas A, D, E e K, principalmente nas formas insaturadas, tais como o ômega-6 e os ácidos graxos ômega-3. Quanto a isso, não há porque se preocupar, pois grande parte das rações já provê a quantidade necessárias de gordura, de acordo com a raça e a idade do animal.

Outros afirmam categoricamente que cães não tem condições de comer grãos. Quanto a isso é bom ressaltar que se os grãos forem cozidos, essa dificuldade deixará de existir. Nesse aspecto o recomendado é optar pelo arroz próprio para cães e não de trigo ou de milho. Há, no entanto, aqueles bem radicais, que simplesmente detestam os pets shops, porque esses comecializam comidas industrializadas e aí justificam dizendo que os cães antigamente viviam muito bem e saudavelmente com os restos de comida, ou quando as famílias faziam a comida para dar aos cachorros. Se você não ouviu isso já deve ter ouvido ou ainda ouvirá um comentário desse gênero. Não corresponde a realidade dos fatos, pois hoje em dia os cachorros duram em média 15 anos, enquanto antigamente duravam apenas 7 anos e isso foi decorrente das diversas razões existentes.

Portanto, não se iniba em oferecer alimentação de qualidade ao seu cão, você não vai se arrepender.

Antonio Marcos Rudolf


Amigo do homem? Não, mais que isso, o cão vem sendo um companheiro para ele. E consequentemente adquirindo várias funções: cães guia, cães policiais e principalmente cães guarda de nossas residências.

Aqui relacionamos sete dicas para você adestrar seu cão. Para isso não é preciso você ser um adestrador profissional, apenas treiná-lo já é o bastante para ter uma convivência tranqüila e em harmonia com seu melhor amigo.

Dicas:

  1. Fazer as necessidades no local correto: Use com seu cachorro o método da recompensa: quando ele fizer no lugar certo, dê uma guloseima para ele. Se o comportamento correto for seguido de uma recompensa ou reforço ficará mais fácil para ele repeti-lo.
  2. Ensinar a NÃO CAVAR em seu jardim: Cães só cavam quando sentem-se sozinhos. Apresentam em seu instinto a necessidade da matilha. Sentindo-se solitários, precisam passar o tempo. Então tente passar mais tempo com ele, brincar, dar carinho, passear.
  3. Repetição: Repetição é essencial para ensinar seu cachorro a obedecer a um comando. Para garantir que ele gravou após uma série de repetições, teste sem as ´´guloseimas´´. Teste isso três vezes seguidas para garantir que ele realmente absorveu ao comando.
  4. Comunicação: Você deverá ensinar seu cão a realizar ao comando ou a fazer algo correto. Assim como corrigi-lo quando fizer errado. Sendo consistente quando estiver emitindo um comando ou ensinando um comportamento específico.
  5. Quando adestrá-lo? Quanto antes começar, melhor será o resultado. Procure começar quando ele ainda for filhote. Mas isso não significa que cães adultos não possam aprender novos comportamentos e truques.
  6. Mostre quem é o líder: Ensine ao seu cão que você é quem o lidera. Demonstre sempre que ele lhe deve submissão. No adestramento nunca deixe que interrompa uma tarefa que está realizando, ele deverá saber com firmeza que deverá seguir o que você quer que ele faça.
  7. Mastigar a coisa certa: O desenvolvimento natural dos filhotes faz com que eles queiram mastigar tudo o que encontram pela frente. Portanto, recomenda-se ossos de couro comprados facilmente em lojas de animais.

Pronto! Desta maneira você fez um ótimo trabalho, além de melhorar a convivência e obediência do seu cão!


Sabe-se que as vezes criar um animal sem dar, de vez em quando, um agradinho como um docinho é quase como impedir que uma criança coma doces. Porém, essas guloseimas podem prejudicar e muito a saúde de seu animalzinho.

Talvez os sintomas não se manifestem logo e você imagine que isso é exagero. Mas, com a idade, inevitavelmente, as conseqüências de um mau hábito alimentar irão se manifestar.

Por isso, evite dar guloseimas ao seu animal desde cedo. Se ele nunca provar um chocolate nunca sentirá falta!





CONTINUE NAVEGANDO: