Cartórios do Paraná passarão irão emitir registro de nascimento de animais a partir de agosto de 2017.

No estado do Paraná, ficou estabelecido que, a partir do dia 7 de agosto de 2017, os tutores de animais de estimação poderão fazer a solicitação de uma certidão de nascimento para seus pets, que incluirá o nome, o sobrenome da família e até mesmo uma foto do animal. Esse registro irá valer para todos os tipos de bicho, o que inclui aqueles que são mais exóticos.

De acordo com Arion Cavalheiro Jr., que é o diretor de Registros de Títulos e Documentos da Anoreg-PR (Associação dos Notários e Registradores do Paraná), este documento irá apresentar com detalhes as informações do pet, como cor, raça, porte do animal, bem como suas características específicas, como marcas que possam tornar mais fácil sua identificação.

A certidão de nascimento, como mencionado, ainda terá uma foto do pet, que poderá ser feita no cartório ou pode ser entregue pelos tutores. A ideia é que, por meio desse registro, seja possível compilar o maior número de informações que facilitem em caso de perda ou de roubo do animal, bem como em disputas pela guarda.

Tendo sido batizado de Pet Legal, este serviço está disponível, primeiramente, nas seguintes cidades: Fazenda Rio Grande, Curitiba, Francisco Beltrão, Campo Largo, Paranavaí, Colombo e Maringá.

Ainda de acordo com o diretor de Registros de Títulos e Documentos da Associação dos Notários e Registradores do Paraná, Arion Cavalheiro Jr., trata-se de um projeto piloto e que, de maneira gradativa, cada um dos cartórios do estado passará a fazer a oferta deste serviço. Segundo o diretor, em uma segunda etapa desse projeto todos os registros dos pets estarão cadastrados em uma central nacional.

Como é realizado o processo de registro?

A certidão de nascimento do animal de estimação leva menos de 15 minutos para ser emitida e custa R$ 71.

Para fazê-la, é necessário que os tutores compareçam a um dos cartórios que já oferecem o serviço, tendo em mãos o CPF, RG e comprovante de residência. Também é indicado que, caso o animal possua, os tutores levem o certificado de pedigree ou outro documento. Durante o processo, o animal de estimação poderá estar presente ou não.

Iris Gonçalves


App PettsVocê sabia que seu smartphone pode te ajudar a encontrar o seu pet perdido? Pois é, uma pernambucana criou um aplicativo que ajuda o dono a encontrar seus bichinhos perdidos de uma maneira muito fácil e barata. Chega de sofrer com falsos avisos e brincadeiras de mau gosto e diga adeus ao cansativo processo de colar cartazes e perguntar em diversos estabelecimentos.

O aplicativo conta com um sistema colaborativo, onde o dono descreve e cadastra as características do seu pet, então as informações são lançadas em um banco de dados que avalia dentro do sistema se existem relatos de animais encontrados sem dono com tais descrições. O aplicativo denominado Petts ainda conta com um sistema que utiliza a referência de geoposicionamento do aparelho para refinar a busca. O usuário ainda pode cadastrar uma foto do pet para facilitar a procura.

O aplicativo ainda permite cadastrar aquele pobre animalzinho jogado fora que sempre fica encostado em algum canto. Uma medida muito cidadã que alia a tecnologia a responsabilidade social.

A principio o aplicativo pode ser baixado gratuitamente na AppStore, e por enquanto conta apenas com cadastro de pets do Rio de Janeiro, São Paulo e Curitiba.

Para baixar o aplicativo acesse: itunes.apple.com/br.

Por Fernando Setoue


Os casais que se separam podem ter um novo aliado na luta de quem fica com a guarda dos animais de estimação. Se o Projeto de Lei nº 7.196 de abril de 2010 do deputado federal Márcio França do PSB de São Paulo for aceito pelas Comissões de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável e Constituição e Justiça da Cidadania, o dono que apresentar maior afinidade com o bichano leva o direito à sua guarda legal.

Para evitar injustiças entre as partes, um perito veterinário teria a função de decidir para que lado tenderia a afinidade do animal. Assim como no caso dos filhos, quem for pleitear a guarda do animal de estimação deverá provar amor e também condições financeiras e emocionais para se ocupar do bichinho. Mesmo com a afirmativa do perito, se o escolhido não tiver as condições psico-econômicas adequadas, o juiz pode mudar a guarda de mãos.

Por Monica Dinah


Nas férias programa-se quase tudo! Primeiro, guardamos o dinheiro ou, no caso dos sem muito planejamento, “estouramos” o cartão de crédito. Depois vem a escolha do local, do hotel, da decisão do meio de transporte, entre outras deliciosas e satisfatórias decisões quando vamos viajar.

Entretanto, um item relevante, por muitos é esquecido: o animalzinho de estimação. O que fazer com ele? Com quem deixar? Observem que os parentes e vizinhos, ao saber do planejamento da viagem, sempre relatam compromissos no mesmo período. 

Assim, ao optar por um hotel realize uma pesquisa se aceitam animais de estimação. Muitos oferecem até como cortesia, sendo um atrativo aos clientes. Outros cobram taxas e mantém equipes para passear com os bichinhos enquanto a família se diverte em locais que o animalzinho não pode acompanhá-los.

Lembre-se também de planejar o meio de transporte do animal, afinal os gastos da viagem podem aumentar.

Por Patricia Gujev





CONTINUE NAVEGANDO: