Confira aqui as raças e nomes de cachorro mais populares no Brasil.

Uma pesquisa foi realizada pelo Dog Hero divulgou as raças e nomes de cachorro mais populares no Brasil. Para chegar aos 25 nomes mais populares de cães femininas e cães masculinos, bem como as 25 raças mais presentes na casa dos brasileiros, a Dog Hero avaliou cerca de 108 mil cachorros.

Dentre os mais populares, o nome Mel ficou na primeira colocação para cães do sexo feminino. Já para os machos, quem ficou com a primeira colocação foi o nome Thor. Em termos de raça, o Vira-lata (raça não definida/ não registrada) apareceu na primeira colocação, seguido pelos cães de pequeno porte Shih-Tzu e YorkShire.

Confira abaixo a lista completa dos 25 nomes mais populares (Feminino/Masculino) e das 25 raças mais frequentes entre os cães no Brasil.

25 nomes de cães femininos (mais populares):

  1. Mel
  2. Nina
  3. Luna
  4. Lola/ Lolla
  5. Meg / Meggie
  6. Amora
  7. Belinha
  8. Cacau
  9. Bella / Bela
  10. Frida
  11. Maya
  12. Pandora
  13. Malu
  14. Princesa
  15. Lua
  16. Lilica
  17. Sofia/ Sophia
  18. Jade
  19. Kiara
  20. Lilli
  21. Chanel
  22. Fiona
  23. Amy
  24. Cindy
  25. Lara

25 nomes de cães masculinos (mais populares):

  1. Thor
  2. Bob
  3. Fred
  4. Billy
  5. Nico
  6. Chico
  7. Jack
  8. Marley
  9. Bruce
  10. Lucky / Lucke
  11. Max
  12. Zeus
  13. Ozzy
  14. Theo
  15. Pingo
  16. Mike
  17. Toddy
  18. Zeca
  19. Boris
  20. Frederico
  21. Simba
  22. Buddy / Bud
  23. Bidu
  24. Tobias
  25. Scooby / Scobie

20 raças mais presentes entre os cães brasileiros:

  1. Indefinido (Vira-Lata)
  2. Shih-Tzu
  3. YorkShire
  4. Poodle
  5. Lhasa Apso
  6. Buldogue Francês
  7. Maltês
  8. Golden Retriever
  9. Labrador
  10. Pug
  11. DashHunt (Linguiça)
  12. Spitz Alemão
  13. Pinscher
  14. Schnauzer
  15. Beagle
  16. Cocker Spaniel
  17. Border Collie
  18. Buldogue Inglês
  19. American PitBull
  20. Chow Chow

O nome do seu cão consta nessa lista? O nome que você escolheu está entre os 25 mais populares? E a raça, está entre as 20 que são mais populares no Brasil? Comente abaixo o nome do seu cão e a raça, caso essas não estejam presentes na lista elaborada pela Dog Hero.

Matheus Griebeler


App PettsVocê sabia que seu smartphone pode te ajudar a encontrar o seu pet perdido? Pois é, uma pernambucana criou um aplicativo que ajuda o dono a encontrar seus bichinhos perdidos de uma maneira muito fácil e barata. Chega de sofrer com falsos avisos e brincadeiras de mau gosto e diga adeus ao cansativo processo de colar cartazes e perguntar em diversos estabelecimentos.

O aplicativo conta com um sistema colaborativo, onde o dono descreve e cadastra as características do seu pet, então as informações são lançadas em um banco de dados que avalia dentro do sistema se existem relatos de animais encontrados sem dono com tais descrições. O aplicativo denominado Petts ainda conta com um sistema que utiliza a referência de geoposicionamento do aparelho para refinar a busca. O usuário ainda pode cadastrar uma foto do pet para facilitar a procura.

O aplicativo ainda permite cadastrar aquele pobre animalzinho jogado fora que sempre fica encostado em algum canto. Uma medida muito cidadã que alia a tecnologia a responsabilidade social.

A principio o aplicativo pode ser baixado gratuitamente na AppStore, e por enquanto conta apenas com cadastro de pets do Rio de Janeiro, São Paulo e Curitiba.

Para baixar o aplicativo acesse: itunes.apple.com/br.

Por Fernando Setoue


Neste final de semana, foi realizado um ato em repúdio as mortes de centenas de cães em Santa Cruz do Arari. O manifesto, realizado em Belém, contou com os atores Bruno Gagliasso, Giovanna Ewbank e Fiorella Mattheis. A caminhada teve como objetivo principal a arrecadação de ração para os animais resgatados por ribeirinhos da Ilha de Marajó. O que foi arrecadado será enviado a comunidade para a alimentação dos cães e gatos resgatados.

A caminhada começou na Praça da República e terminou na Praça Batista Campos. Alguns voluntários ainda coletaram assinaturas para a realização de uma petição pública enviada para o Ministério Público do Pará. O objetivo da petição é que os envolvidos na matança dos animais no município de Santa Cruz do Arari sejam punidos pelo ocorrido.

Foram registrados vídeos em que os animais são cruelmente feridos e mortos. Segundo os moradores, o prefeito é o principal responsável pela matança dos cães. Ele mesmo teria pago a caça de cães e cadelas que foram mortos.

Por outro lado, o prefeito negou o fato e disse que os animais foram levados para a região rural da cidade. A Delegacia do Meio Ambiente abriu inquérito para apurar os fatos, porém, é certo que as imagens gravadas mostram a crueldade com os animais, o que caracteriza crime.

Por Robson Quirino de Moraes


Na Coreia do Sul, um grupo de pet shops decidiu oferecer o serviço de aluguel de cachorros a população. O interessado pode alugar o cão por períodos que variam entre algumas horas até meses, de acordo com a disponibilidade da pessoa.

Estima-se que 10% da população do país seja solteira e more sozinha, fazendo com que muitas delas sejam solitárias. Com o serviço, elas podem se sentir menos sozinhas e podem até adotar definitivamente o cachorro. Aqui no Brasil já existe algo parecido, porém, com cães de guarda, que são alugados para proteger casas e empresas.

Tanto aqui quanto no país asiático, o projeto causa polêmica e já é mal visto por algumas sociedades que defendem os direitos dos animais. Segundo eles, os animais podem não se adaptar as condições, comprometendo o desenvolvimento psicológico, pois são fiéis por natureza. Já os cães de guarda podem ficar em lugares sozinhos, sem carinho ou alimentação adequada. O que representa uma condição de maus tratos.

Em contrapartida, há quem defenda o aluguel de cães, devido a grande quantidade de animais abandonados nas ruas. Além disso, talvez seja melhor para esses animais terem diversos donos do que nenhum.

Por Robson Quirino de Moraes


Os casais que se separam podem ter um novo aliado na luta de quem fica com a guarda dos animais de estimação. Se o Projeto de Lei nº 7.196 de abril de 2010 do deputado federal Márcio França do PSB de São Paulo for aceito pelas Comissões de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável e Constituição e Justiça da Cidadania, o dono que apresentar maior afinidade com o bichano leva o direito à sua guarda legal.

Para evitar injustiças entre as partes, um perito veterinário teria a função de decidir para que lado tenderia a afinidade do animal. Assim como no caso dos filhos, quem for pleitear a guarda do animal de estimação deverá provar amor e também condições financeiras e emocionais para se ocupar do bichinho. Mesmo com a afirmativa do perito, se o escolhido não tiver as condições psico-econômicas adequadas, o juiz pode mudar a guarda de mãos.

Por Monica Dinah


Ter um bichinho de estimação é a vontade de muitas pessoas, principalmente crianças. As alergias que acometem os seres humanos, no entanto, podem impedir que algumas destas pessoas tenham um gato ou um cachorro.

Pensando nesta parcela da população que sofre com as alergias é que os cientistas dos Estados Unidos desenvolveram uma espécie de gato antialérgico, que não oferece riscos aos alérgicos.

Trata-se de gatinhos modificados, que não produzem a proteína concentrada na saliva, pele e urina do bichano que provoca reações alérgiccas nos humanos.

Os gatinhos modificados podem ser adquiridos às 12 semanas de idade,  pesam de quatro a oito quilos e têm vacinação completa e atualizada por um chip.

Os gatos estão à venda pelo site: www.allerca.com.br por cerca de R$ 12 mil.

Por Luana Neves


Nestes dias de Copa do Mundo em que os brasileiros, pela sua natureza alegre e festiva adoram comemorar, há quem sofra muito com os fogos de artifício disparados por todos os cantos do país nos dias dos jogos da Seleção Brasileira. E não são humanos não, são os cachorros que chegam a sentir pânico diante do barulho dos explosivos, o que leva muitos deles a problemas de enforcamento com as coleiras, fuga e até convulsões.

Aqueles que lidam com os cães dizem que a causa do problema não está na raça mas sim, na forma como os animais tiveram sua socialização enquanto filhotes. E já há tratamento para isto, ao custo de setenta reais a sessão, incluindo aplicação de florais.

Fonte:Folha

Por Elizabeth Preático


Depois dizem que vida de cachorro é difícil: na Austrália será realizado um evento musical destinado apenas aos cães, com shows de diversas bandas, entre elas o cantor Lou Reed. Mas como assim, para os cachorros? Explico: as músicas serão tocadas em uma frequência audível apenas pelos cães. Isto mesmo: os humanos não conseguem escutar.

Além de Reed, a artista Laurie Anderson também participará do “Music for Dogs”, e conta que já tem uma fã: sua cadela de estimação. "Ela gosta de ouvir coisas suaves e com batidas. Sons com vozes e timbres agudos também a agradam", disse Laurie ao jornal inglês “The Guardian”.

O show será realizado em Sydney no dia 5 de junho. Outros músicos, como the Blind Boys of Alabama, Boris e Chirgilchin, também tocarão no "Music for dogs". E fica a pergunta: como os cães irão pagar o cachê dos músicos?

Raphael Ramirez

Fonte: G1


Você já ouviu alguém dizendo que vida boa é vida de cachorro, que só come, dorme e ganha carinho? Pois é, mas para Taz, cão policial na Inglaterra, a vida não foi nada boa: após trabalhar durante 12 anos como guarda em um pub, ele foi aposentado por apenas um deslize: dormir bem na hora de um assalto.

O resultado da cochilada de Taz foi a seguinte: os bandidos levaram milhares de libras em álcool e dinheiro vivo. O dono do bar só viu o que houve no dia seguinte pela manhã, mas aonde estava Taz? Roncando num canto do salão. Segundo o comerciante, Taz está ficando cego e surdo. Bom, se é melhor para Taz, é melhor uma boa aposentadoria, né? Com 12 anos de serviços prestados, só podemos desejar uma coisa a ele: bom descanso, Taz!

Raphael Ramirez

Fonte: G1


Uma ótima novidade aos donos de cães e gatos: quando forem fazer viagens internacionais, seus animais de estimação poderão ser identificados com um passaporte eletrônico.

O  decreto lei  publicado esta semana no Diário Oficial da União, determina a implantação de microchip para identificação do animal. Esse novo documento poderá ser apresentado em substituição ao Certificado Sanitário Internacional e  o Atestado de Saúde.

A utilização do “chip” é facultativa. E o dono de cães e gatos poderão  fazer a sua escolha. No Japão e na União Européia, por exemplo,  a utilização da identificação eletrônica dos animais é obrigatória.

Para o presidente da Associação Nacional de Clínicos Veterinários de Pequenos Animais de  São Paulo, Ricardo Coutinho do Amaral, a aplicação do microchip “ representa um avanço da fiscalização brasileira.”

FONTE: Jornal da Cidade  31/03

Crédito: Lucilei Garcia


Qual a raça de cachorro mais violenta que existe? Aquela mais traiçoeira, capaz de atacar os próprios donos? Pitbull? Rottweiler? Pastor Alemão?

Esqueça. Cães grandes, treinados para ser agressivos e reagir violentamente à presença de estranhos são bastante calmos. Perigosos mesmo são os cães pequenos.

Uma pesquisa da Universidade da Pensilvânia revelou que o dachsund, o famoso salsicha, é o cão mais perigoso do mundo. Um em cada 12 já atacou seu próprio dono. Excessão? Não, de jeito nenhum. O segundo lugar da lista é o minúsculo chihuahua. E o terceiro é o também pequeno Jack Russell Terrier.

Justiça seja feita aos pequeninos, pois a partir da quarta posição começam a aparecer cães grandes: Akita é o quarto, Pastor Australiano é o quinto e o temido Pit bull vem na sexta posição.

Explicação para isso? Bom, a lista está um tanto equilibrada. Existem correntes que argumentam que cães pequenos teriam que brigar mais para obter seu alimento ou se defender de predadores, em eras remotas, daí sua maior agressividade. Já cães grandes que são ferozes… são simplesmente treinados e selecionados para serem assim.





CONTINUE NAVEGANDO: