Elas se reproduzem com uma velocidade incrível, tendo que ser combatidas logo no início para não saírem fora do controle. Sua reprodução acontece normalmente em ambientes na própria residência,  ou seja, o cão adquire algumas na rua, em passeios, por exemplo, e em casa elas encontram um ambiente propício para fazer a desova, podendo permanecer no local por até um ano! Por isso, podemos dizer que o cão apenas faz o transporte delas e, na presença de umidade e calor elas se proliferam.

Sabendo que elas apenas se alimentam do cão sugando seu sangue, você pode seguir algumas dicas para tentar impedir a infestação: dando um banho anti-pulgas e certificando-se de que todas foram mortas, e depois de secá-lo, solte-o livremente pela casa, se em uma hora depois você não observar nenhuma pulga significa que seu cão não estava infestado e sua casa também não.

Já, se encontrar várias pulgas a residência deve ser tratada juntamente com o cão, fazendo dedetizações duas vezes a cada 3 e 4 semanas. E o cachorro deverá tomar banhos anti-pulgas e utilizar produtos específicos, além de ter o acompanhamento de um veterinário.

A presença das pulgas alteram o comportamento do cão e os irritam fisicamente, então se observar algum indício delas procure um veterinário. Ele saberá como ajudar seu amigo canino a sair ileso, além de prevenir contra doenças que poderão surgir.


Passe a usar em sua casa somente  aspirador de pó, que deverá ter, no saco recebedor de lixo, uma boa quantidade de Neocid. 

Dê um banho por semana no cão  retirando, porém, diariamente, todas as pulgas. 

Caso não tenha aspirador de pó, varra com vassoura de piaçava todas as dependências da casa, não esquecendo o rodapé. Passe um pano com produto de limpeza à base do amoníaco (dilua sempre para não causar intoxicações ao animal). 

Caso sua casa tenha quintal, plante a Erva de Santa Maria em vasos, canteiros, jardins etc. As pulgas odeiam.





CONTINUE NAVEGANDO: