Qual é a Melhor Ração para Pets – Como Escolher Ração para Cachorro e Gato

Saiba aqui como escolher e qual é o melhor alimento para o seu pet.

Entre as diversas dúvidas que existem quando adotamos um animal de estimação, certamente a principal se trata de como devemos alimentar nosso amigo. Devemos dar ração, ou comida? Que tipo de ração, que tipo de comida? Que dieta fará o animal saudável e satisfeito?

Tratar da alimentação de um animal doméstico não é difícil, exige apenas alguns cuidados. Cuidados esses referentes principalmente a raça do animal, ao porte e a idade. Mas vale salientar outros pontos que serão levantados a seguir.

Os animais, assim como nós, necessitam de ingerir carboidratos, proteínas, vitaminas, macro e micronutrientes, etc. Sem uma dieta equilibrada, os animais terão uma qualidade de vida prejudicada, interferindo na qualidade de sono, no temperamento, no vigor durante o dia, entre outras questões. O que pode ocasionar doenças e complicações, algumas irreversíveis.

Os animais domésticos, por viverem dependentes de nossos cuidados, não obterão a mesma dieta que teriam se estivessem em meio selvagem. Um filhote de cachorro e um cachorro adulto de grande porte, por exemplo, tem necessidades nutricionais diferentes. Um filhote precisará substituir o leite materno, um canino de grande porte terá uma demanda calórica grande. Se a ração não oferece aquilo que o animal necessita, as chances dele desenvolver algum tipo de complicação aumenta consideravelmente.

Se um filhote tem acesso só a ração de cães adultos, terá dificuldades no crescimento, podendo provocar doenças relacionadas as articulações e aos ossos. Podendo em um acidente fraturar com facilidade algum membro do animal. Assim como oferecer ração canina para um gato poderá desenvolver complicações cardíacas.

Tudo depende do animal em questão, não atoa as indústrias dos segmentos de alimentos “Pet Food” e de medicamentos veterinários “Pet Ved” se preocupam em especificar para qual animal aquele produto foi feito.

Isso significa que nas embalagens temos todas as informações que precisamos para saber se vale a pena levar aquele produto para o nosso amigo. Se você é tutor de algum animal, provavelmente já passou pela situação do pet se recusar a comer, e muitas vezes não entendemos, pois achamos que basta a ração ser cara e estar nova para o pet esvaziar o pote. Mas muitas vezes não é o que acontece, o pote fica cheio por vários dias, até a fome apertar no animal.

Esclarecido essas questões, o primeiro passo para sabermos o que comprar é sabermos do nosso pet, ele é um gato um cachorro, ou outro animal? Ele é filhote, adulto ou idoso? Ele é de alguma raça que necessita de cuidados especiais? Ele tem um paladar aguçado? Tudo isso deve ser levado em conta para no final o pote estar vazio.

Uma das principais observações ao comprar uma ração é identificar na embalagem os dizeres “Super Premium” ou “Premium”. Isso significa que essa ração atende super bem os níveis recomendados de carboidratos, gorduras, proteínas e outros nutrientes para o animal especificado.

Isso não quer dizer que uma ração comum também não possa servir, mas evite as rações coloridas, pois exageram na quantidade de corantes artificiais, temperos e sal. O que pode resultar em problemas renais, urinários, de pele e perda de pelo. Vale uma pesquisa sobre a marca da ração, para saber a qualidade e o processo de fabricação. Porém, muitos Pet Shops não expõem a marca da ração, vemos apenas aqueles grandes sacos cheios de ração e não sabemos a origem. Nessas horas, uma conversa com o vendedor pode ajudar. Mas uma boa dica nessa situação é pegar um pouquinho de cada ração, e levar para seu pet experimentar. Não é raro ver um pet preferindo comer uma ração mais barata, que atende os mesmos requisitos nutricionais da mais cara. De qualquer forma, é bom saber a origem da ração, sendo ela barata ou cara.

Outra dúvida que surge nessas horas é sobre a umidade do alimento, afinal um alimento úmido será melhor? Novamente depende do animal em questão. Os alimentos secos têm um melhor custo benefício, são práticos de servir e duráveis. Mas se levarmos em conta o paladar do animal, sem dúvidas eles vão preferir as rações úmidas, são de mais fácil ingestão, agradam mais ao paladar, principalmente de animais exigentes com essa questão e incentivam a ingestão de água após a refeição. Animais que ingerem pouca água se beneficiam bastante da dieta úmida. Mas deve-se garantir acesso do animal a água potável e limpa sempre, mesmo fazendo uso de rações úmidas.

Dependendo uma avaliação veterinária com cálculos de quantidade de ingestão diária pode ser necessária, a depender do porte do animal. Outro fator é identificar nos rótulos de rações úmidas especificações de alimento completo e balanceado.

Porém, a maior diferença poderá ser na quantidade a servir de ambas, as rações úmidas têm densidade calórica menor, então o animal precisará comer mais para atender suas necessidades calóricas que se estivesse comendo uma ração seca. Variar entre os dois tipos de rações é uma boa, evita que o animal enjoe de comer sempre a mesma coisa o que o estimula a estar sempre comendo, e atendendo suas necessidades.

O que entra na nossa próxima questão que é a combinação e a substituição das rações. Combinar a ração dependerá mais do seu animal, se ele é exigente com o paladar ou não. A troca deverá ser feita gradualmente, misturando as rações aos poucos até a substituição completa. Do contrário o felino ou o canino estranhará a nova refeição. Mas vale o teste para saber se ele aceitará o novo alimento sem rejeição. Mesmo assim, o recomendado é misturar as rações antes da completa substituição, pois o sistema digestório de cães e gatos são sensíveis, poderão ter diarreias e vômitos com a troca abrupta da dieta. Permitirá também que a flora intestinal do animal se adapte ao novo tipo de alimento.

Outra questão recorrente nos tutores de animais domésticos é a alimentação natural. Apesar de não haver uma dieta completamente ideal para qualquer ser vivo que seja, de modo geral é uma alternativa interessante para tutores que se preocupam com o paladar do seu pet. Se a dieta natural atender as necessidades nutricionais de gorduras, fibras proteínas e etc. O pet sem dúvida gostará da variedade de sabores e texturas. Porém, deve-se ter extremo cuidado ao escolher o que dar ao animal, muitas comidas humanas são venenosas para cães, gatos e outros pets. Caso queira investir nesse tipo de dieta, pesquisa e bom senso é de extrema importância.

Mas afinal, o que custa mais caro? O que é melhor para você e para seu pet? Bom, tudo depende do animal em questão. Mas especialistas veterinários e biólogos consideram as

rações úmidas e secas adequadas, as duas categorias oferecem alimentos de alta e baixa qualidade, tudo a depender da marca e do volume diário ingerido pelo animal. Ou seja, mais que o tipo de dieta são as marcas e o volume que ditam o preço, pesquisar por marcas e por Pets Shops é o que fará a diferença entre pagar mais ou menos. Caso a dúvida seja sobre a dieta natural, o preço poderá variar das dezenas até as centenas de reais.

Allan Christian Lima de Oliveira

Próximo Post

Não há mais posts

Outros Conteúdos Interessantes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.